Queda de Cabelo‎ > ‎

Os folículos capilares morrem?

Publicado a 26/08/2012, 11:01 por Apoio Cabelos
Têm existido a convicção que após alguns anos sem nascer qualquer cabelo os folículos capilares estão mortos, isto quer dizer incapazes de gerarem fios e de produzirem novas células. 
Folículos capilares não morrem

Esta ideia têm sido reforçada por muitos especialistas da área, médicos e investigadores. De fato a observação comum é que principalmente os homens quando começam a ficar calvos por diminuição e qualidade dos cabelos, o processo é quase sempre irreversível. Com o passar do tempo as áreas calvas aumentam e nunca mais voltam a nascer fios.
Contudo alguns casos de que temos conhecimento negam esta teoria da morte das raízes capilares, reforçada agora por este novo estudo efectuado no Departamento de Medicina Interna da Universidade da Escola de Medicina do Nevada.

Este caso publicado num jornal da especialidade revela um homem de 73 anos, careca desde os 28 anos que recuperou totalmente a sua cabeleira. 
Este homem desenvolveu uma cirrose no fígado e tem sido tratado ao longo de 6 anos com spironolactona. A spironolactona é um diurético e um antiandrógeno de efeito moderado de uso sistémico nos homens. Nos últimos 3 meses o seu cabelo começou a crescer em toda a sua cabeça ao fim de 45 anos de calvície. As fotos do estudo mostram um crescimento e abundância capilar impressionante, num estilo idêntico ao do ex-presidente americano Ronald Reagan.
O efeito androgénico que leva à diminuição dos fios até ao ponto em que deixam de ser visiveis e não têm qualquer efeito cosmético induzem a uma progressão de fibrose capilar, isto é, a um endurecimento do colagénio, pela inflamação crónica que ocorre na raíz em presença de níveis elevados do hormonio/hormona DHT (Veja nosso artigos anteriores para melhor compreensão das causas e efeitos do DHT).
Quanto mais tempo passa mais avançado é o estado da fibrose capilar e mais difícil de tornar o processo reversível, contudo neste caso, os 6 anos em que este homem tomou a spironolactona permitiram eliminar as causas e retroceder o endurecimento do colagénio.

O problema da calvície pode ser atenuado e tratado recorrendo a medicamentos orais antiadrogénicos como:
  • Propecia de ingrediente ativo finasterida;
  • Avodart de ingrediente ativo Dutasterida;
  • spironolactona;
  • Flutamida.
Quase todos apresentam alguns efeitos secundários pouco desejáveis, e no caso em estudo a spironolactona é bastante tóxica provocando perda de massa muscular, redução do libido, crescimento do peito, fadiga entre outros.
Nos nossos restantes artigos temos igualmente publicado alguns estudos com uma abordagem mais natural a este problema, com menos efeitos adversos e alguns resultados promissores, principalmente se forem utilizados precocemente.